fbpx

Ovários Policísticos.

Procedimento // Ovários Policísticos

Ovários Policísticos

Este texto explica o que é ovários policísticos, sintomas, como fazer o diagnóstico e os melhores tratamentos na atualidade.

Ovários policísticos: O que é?

Você com certeza já ouviu alguém falar sobre ovários policísticos. Geralmente, é muito comum escutar sobre isso na adolescência.

Ao nascimento, temos milhões de óvulos em estágio inicial de desenvolvimento.

Com a primeira menstruação, estes óvulos são identificados pela ultrassonografia, envolvidos por líquido, formando pequenos cistos, que medem entre 2 e 9 mm, chamados de folículos antrais.

A diferença entre cisto no ovário e ovário policístico está no tamanho e no número de cistos.

Portanto, o ovário policístico é a característica de um ovário que apresenta muitos folículos, ou seja, um ovário normal, mas também pode indicar uma doença, a chamada síndrome dos ovários policísticos.

Ovários policísticos: sintomas

Existem diversos fatores envolvidos no desenvolvimento da síndrome dos ovários policísticos, mas é provável que a mesma seja o resultado da associação de fatores genéticos e fatores ambientais.

Cerca de 10% das mulheres possuem a síndrome dos ovários policísticos em algum grau.

A influência genética é forte.Mulheres com ovário policístico frequentemente possuem uma mãe ou irmã também com a doença.

É preciso pelo menos duas das três características descritas abaixo para o diagnóstico da SOP:

  • Ausência de menstruação ou ciclos irregulares;
  • Sinais de aumento dos níveis de testosterona detectado clinicamente ou pelos exames de sangue;
  • Ovários de aspecto policístico à ultrassonografia.

A síndrome dos ovários policísticos pode se apresentar de 4 formas clínicas diferentes:

  1. Alterações menstruais, aumento dos níveis de testosterona e ovário policístico à ultrassonografia;
  2. Aumento dos níveis de testosterona e alterações menstruais;
  3. Alterações menstruais e ovário policístico à ultrassonografia.
  4. Aumento dos níveis de testosterona e ovário policístico à ultrassonografia;

Um dos achados mais comuns nas mulheres com síndrome dos ovários policísticos é um aumento dos níveis de testosterona, o principal hormônio masculino.

Outra alteração comum é a resistência insulínica. A paciente produz insulina normalmente, mas os seus tecidos são resistentes a sua ação, causando uma alteração nos valores da glicose e insulina no sangue.

SOP: diagnóstico

A síndrome dos ovários policísticos é chamada de síndrome porque possui um conjunto de sinais e sintomas que podem ou não estar presentes.

Algumas mulheres podem ter muitos sintomas e outras podem ter a forma mais branda.

As principais características da SOP são a menstruação irregular, que é provocada pelos ciclos anovulatórios, que são ciclos menstruais em que não acontece a ovulação, infertilidade, obesidade, aumento dos pelos e acne.

Podemos encontrar alterações em alguns exames laboratoriais.

O excesso de testosterona, chamado de hiperandrogenismo, é responsável por alguns dos sinais e sintomas típicos da SOP.

O achado mais comum da elevação da testosterona é chamado de hirsutismo. Este é o nome dado à presença de pêlos nas mulheres em lugares como acima do lábio superior, no queixo, ao redor dos mamilos e abaixo do umbigo.

O excesso de hormônios masculinos também é o responsável pelo aumento da oleosidade da pele, sendo muito frequente o aparecimento de acne (cravos e espinhas).

Também não podemos esquecer de outros achados que podem ser encontrados junto com a SOP, que é a síndrome metabólica.

Nesta síndrome temos como principais achados o excesso de peso, resistência à insulina, níveis elevados de colesterol e hipertensão arterial.

A ausência de ovulação e as alterações hormonais da síndrome do ovário policístico aumentam o risco do desenvolvimento de câncer, sendo o mais comum o câncer de endométrio.

Leia mais sobre Síndrome dos ovários policísticos clicando em nosso blog.

Ginecologista Especialista em Ovários Policísticos

Newsletter.