fbpx

Endometriose.

Procedimento // Endometriose

O que é a Endometriose?

A Endometriose é uma doença caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga.

A endometriose é uma doença inflamatória, por isso, muitos fatores podem influenciar os sintomas e a evolução da doença, como o tipo de tratamento escolhido, alimentação, stress, atividade física e o sono de qualidade.

Esta doença acomete mulheres na menacme, ou seja, pode aparecer desde a primeira menstruação e pode se estender até a última. Mas, frequentemente, o diagnóstico é realizado entre 30 e 40 anos.

De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% a 15% de mulheres em idade reprodutiva podem apresentar a doença e sua presença aumenta 30% a possibilidade delas desenvolverem infertilidade.

Sintomas da Endometriose:

Os principais sintomas da endometriose são dor e infertilidade. Entre os sintomas mais comuns estão:

– Cólica menstrual;

– Dor na relação sexual;

– Alterações intestinais cíclicas, como diarréia, dor ou constipação durante o período menstrual;

– Ardência para urinar durante a menstruação;

– Infertilidade, independente dos sintomas de dor;

– Desconforto abdominal.

Diagnóstico:

A endometriose pode ser superficial quando ocorre a invasão do peritônio, membrana que recobre todos os órgãos da barriga e, neste caso, não é diagnosticada pelos exames de imagem.

Também existe a endometriose profunda, quando a doença atinge alguns órgãos como o intestino, bexiga ou penetra mais que 5 mm no peritônio, sendo identificada pela ultrassonografia com preparo intestinal e ressonância magnética.

Tratamento:

O tratamento é individualizado para cada paciente.

– Tratamento clínico: deve ser a primeira opção para as mulheres com endometriose. Tem como objetivo melhorar os sintomas.

– Tratamento cirúrgico: é indicado quando os sintomas não são controlados com o tratamento clínico ou na presença de lesões em órgãos como intestino e bexiga.

– Mudança de hábitos: A alimentação tem grande importância para a prevenção e tratamento da endometriose, juntamente com a realização de exercícios físicos.

Os exercícios físicos devem ser sempre aqueles escolhidos pelas pacientes e realizado com prazer, sendo assim podemos obter benefícios com os mecanismos anti-inflamatórios relacionados à liberação de endorfina e outros neuro-hormônios que auxiliam na diminuição da dor e do estresse da mulher.

Alimentação para endometriose: o que eu preciso saber?

A endometriose é uma doença inflamatória, por isso, muitos fatores podem influenciar os sintomas e a evolução da doença, como o tipo de tratamento escolhido, alimentação, stress, atividade física e o sono de qualidade.

A endometriose acomete cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva, sendo os principais sintomas:

– Cólica menstrual;

– Dor na relação sexual;

– Alterações intestinais cíclicas, como diarréia, dor ou constipação durante o período menstrual;

– Ardência para urinar durante a menstruação;

– Infertilidade, independente dos sintomas de dor;

– Desconforto abdominal.

A endometriose é caracterizada pela presença de tecido endometrial (camada que reveste a parte interna do útero) fora da cavidade uterina, como nos ovários, tubas, peritônio, ligamentos e até mesmo em importantes órgãos como bexiga, ureteres e intestino.

 

O estilo de vida da mulher moderna propicia o aumento do stress, falta de atividade física e uma alimentação desequilibrada. Tudo isso contribui para o desenvolvimento da endometriose.

 

Estes fatores associados às poucas horas de sono, altos níveis de poluentes no ar e a presença de agrotóxicos nos alimentos, leva ao enfraquecimento do sistema imunológico, um importante fator desencadeador da endometriose.

 

Sendo assim, a alimentação tem um papel importantíssimo na manutenção da imunidade como também no favorecimento de uma composição corpórea adequada, uma vez que o aumento de tecido adiposo produz excesso de hormônios femininos.

 

Sempre manter o intestino funcionando normalmente é imprescindível, uma vez que as alterações intestinais aumentam a absorção de toxinas, muitas delas inflamatórias e imunossupressoras.

Alimentação para endometriose: o que a nutrologia pode me ajudar?

A nutrologia em ginecologia vem para mostrar o poder que uma alimentação adequada, rica em vitaminas e minerais, pode ajudar a prevenir a endometriose bem como apoiar o seu tratamento, e principalmente, melhorar os sintomas.

 

A paciente com endometriose pode se beneficiar muito de uma alimentação adequada, aproveitando os alimentos que comprovadamente têm ação nos principais sintomas da doença, como dor, irritabilidade, fadiga, insônia, alergias e infertilidade.

especialista em endometriose

Agora que você já sabe um pouco sobre minha especialidade em nutrologia para Endometriose, agende uma consulta.

Newsletter.