Probióticos: grandes aliados do nosso corpo.

Especialista em Nutrologia

 

Os probióticos são bactérias vivas ou esporos, que sobrevivem ao pH ácido do estomago e chegam ao intestino grosso viáveis, se integrando ao pool de microorganismos que formam a microbiota intestinal.

 

Geralmente, utiliza-se um pool bactérias benéficas, que são administradas por via oral. Estas chegam vivas ao intestino e lá agem em conjunto com a microbiota intestinal, tendo como principal objetivo melhorar a saúde do nosso organismo.

 

Nossa microbiota sofre diversas influências nos primeiros anos de vida, e adquire o padrão adulto aos 3 anos de idade. Os fatores relevantes para a formação da microbiota são: genético, geográfico e dieta. Mas outra questão com grande influência, tanto na imunidade quanto na microbiota, está relacionada ao nascimento sendo melhor o parto de termo e por via vaginal.

 

Os principais benefícios dos probióticos são:

  • Facilitar a digestão de nutrientes;
  • Ajudar na absorção de nutrientes;
  • Fortalecer o sistema imunológico.

 

Sabe-se que o uso de antibióticos ou uma alimentação inadequada, trazem um grande prejuízo para a flora intestinal. Este desequilíbrio faz com que ocorra a proliferação de bactérias ruins, levando a problemas relacionados a digestão e absorção de nutriente, além de enfraquecimento do sistema imunológico, consequentemente, deixando o organismo susceptível a doenças.

Principais benefícios

Estudos mostram diversos benefícios dos probióticos no nosso organismo, sendo que estes benefícios podem ser gerais ou ainda específicos em algumas doenças ou fase da vida.

 

Os principais benefícios dos probióticos são:

  • Ajudam a controlar a microbiota intestinal; 
  • Atuam na recuperação da microbiota intestinal após o uso de antibiótico;
  • Fortalecem as atividades gastrointestinais;
  • Combatem organismos que causam doenças, através de compostos antimicrobianos; 
  • Estimulam o sistema imunológico; 
  • Promovem o alívio em casos de constipação; 
  • São indicados para lidar com diarreia e outros; 
  • Ajudam na absorção de micronutrientes importantes, como minerais e vitaminas.

 

Outros benefícios dos probióticos para funcionalidades mais específicas são:

  • Ajudam a eliminar produtos tóxicos no intestino;
  • Impedem a proliferação de bactérias ruins no intestino;
  • Melhoram a digestão e ajudam a regular o trânsito intestinal;
  • Ajudam a prevenir e trata doenças intestinais, como colite, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn e inflamação intestinal;
  • Ajudam a fortalecer o sistema imunológico, por aumentar a produção de células de defesa chamadas macrófagos;
  • Ajudam a combater doenças como câncer, candidíase e infecção urinária.
  • Ajudam a digerir a lactose, especialmente em pessoas com intolerância à lactose;
  • Promovem a perda de peso;
  • Reduzem o colesterol;
  • Melhoram sono e o estresse;
  • Prevenção de alergias e intolerâncias alimentares;
  • Ajudam a melhorar o humor, uma vez que foi identificada uma relação direta entre o equilíbrio da flora intestinal com uma diminuição de doenças como a depressão e a ansiedade;

Probióticos: alimentação x suplementação

Atualmente, podemos utilizar os probióticos vindos dos alimentos ou ainda por via de suplementos contendo probióticos em sua formulação.

 

Os principais exemplos de alimentos probióticos são:

  • Iogurte natural: são a principal e mais fácil fonte de probióticos no mercado, mas é importante estar atento ao rótulo para identificar aqueles que mantém as bactérias benéficas vivas;
  • Kefir: com um teor elevado de probióticos, este é um produto fermentado com levedura e bactérias muito semelhante ao iogurte.
  • Leite fermentado: são produtos especiais que geralmente contêm Lactobacillus adicionados pela indústria;
  • Levedura natural: é um cultivo composto por leveduras e bactérias que são naturalmente encontradas no ambiente, e que pode ser utilizado na preparação de diversos produtos, como pães, tortas e bolos.
  • Kombucha: uma bebida fermentada feita principalmente a partir do chá preto;
  • Chucrute: é feito a partir da fermentação das folhas frescas do repolho ou da couve;
  • Picles: os pepinos são colocados em água e sal, deixando fermentar por um tempo;
  • Produtos orientais à base de soja, legumes e verduras, como Miso, Natto, Kimchi e Tempeh, que podem ser comprados em lojas especializadas;

 

Devemos colocar os alimentos probióticos na alimentação para manter a flora intestinal saudável. Para isso, aconselha-se o consumo de pelo menos 1 alimento fonte de probióticos por dia. 

 

Quando houve um período de uso de antibióticos, orienta-se utilizar os probióticos durante e após o tratamento pois estes acabam destruindo a flora intestinal saudável.

 

Os probióticos também podem ser consumidos na forma de suplementos. É possível a formulação em cápsulas, líquidos ou sachês. Seu uso deve ser feito diluído em água ou sucos naturais.

 

Existem muitos exemplos de probióticos que podem ser encontrados em farmácias e lojas de produtos nutricionais.

 

Neste tipo de suplementos, verifica-se a presença de tipos de bactérias que compõem a formulação dos probióticos, incluem entre 1 até 10 tipos diferentes. Os mais importantes são:

  • Bifidobacteria bifidum: estão presentes no intestino delgado e grosso, ajudando na digestão dos lacticínios;
  • Bifidobacteria breve: estão presentes no intestino e no trato vaginal e ajudam a combater infecções por bactérias e fungos;
  • Bifidobacteria longum: é um dos tipos de probióticos mais comuns no intestino e ajuda a eliminar toxinas do organismo;
  • Bifidobacteria animalis: ajuda a fortalecer o sistema imune, além de ajudar na digestão e no combate a bactérias transmitidas por comida contaminada;
  • Lactobacillus acidophilus: é talvez o tipo mais importante que ajuda na absorção de vários nutrientes, além de combater infecções e facilitar a digestão. Os L. acidophilus também estão presentes na vagina, ajudando a combater infecções;
  • Lactobacillus rhamnosus: estão presentes no intestino e podem ajudar a combater rapidamente casos de diarreia, especialmente quando se viaja para outros países. Também pode ajudar a tratar a acne, eczema e a infecção por Candida sp.;
  • Lactobacillus reuteri: estão presentes especialmente na boca, estômago e intestino delgado, sendo importantes contra a infecção por H. pylori;
  • Lactobacillus fermentum: ajudam a neutralizar produtos e toxinas liberadas durante a digestão, melhorando o ambiente para o crescimento da flora intestinal;
  • Saccharomyces boulardii: ajuda a tratar a diarreia causada por antibióticos ou a diarreia do viajante.

 

O recomendado é que o suplemento tenha entre 2 e 10 bilhões de bactérias ativas, isso porque é importante escolher a que seja melhor de acordo com a situação que deve ser tratada.

 

Sempre a maior diversidade de probióticos, juntamente com o número de bactérias dentro de cada comprimido, fará do suplemento melhor para cada caso, isso facilitará o melhor e mais rápido desenvolvimento de uma flora intestinal saudável.

 

Lembrando sempre que junto com o consumo de probióticos na forma de suplementos ou de alimentos ricos nessas bactérias, também é importante manter uma alimentação saudável ricas em fibras, pois as fibras são prebióticas, ou seja, os principais alimentos para os probióticos, favorecendo sua sobrevivência no intestino.

Probióticos e prebióticos: qual a diferença?

Vimos que os probióticos são bactérias saudáveis presentes no intestino. Já os prebióticos são as fibras que servem de alimentos para os probióticos e, assim favorecem a sua sobrevivência e proliferação no intestino.

 

Os alimentos exemplos de prebióticos naturais são aveia, cebola, alho, banana verde e biomassa de banana verde.

 

Ginecologista Especialista em Nutrologia

Ginecologista Especialista em Nutrologia

Agora que você já sabe um pouco sobre minha especialidade em Nutrologia, agende uma consulta.

                                                     kyleena

Tire Todas as
Suas Dúvidas.

Categorias.

Agendar Consulta.